sábado, 14 de agosto de 2010

Dicas de em quem votar

dica

Nestes dias próximos à eleição muitas dúvidas vêm à tona, espero ajudar com algumas dicas na hora de escolher em quem eleger

Votar parece algo muito simples e óbvio e, portanto as pessoas geralmente não se preocupam o suficiente ou não tem noção de como votar. Além disso, em nosso país as pessoas crêem que os políticos são todos iguais e que não faz tanta diferença votar em um ou outro.

Diante disso me propus a bolar algumas dicas que podem ajudar as pessoas que não sabe muito sobre isso, especialmente os que estão votando pela primeira vez.

Devo votar no candidato ou no partido?

É uma pergunta muito interessante, visto que normalmente a propaganda política é focada no candidato e não no partido. Acontece que por isso a maioria das pessoas acredita que não importa o partido e sim a pessoa.

Essa é uma verdade duvidosa, ou meia verdade... A questão é que sim o partido influencia muito as decisões que o eleito toma a quem apóia ou deixa de apoiar. Sendo assim sim, deve-se atentar e muito também ao partido.

É bom reeleger ou mudar?

Não há consenso sobre esse assunto, mas pense assim. Se fosse para alguém ou um grupo de pessoas ficarem o tempo todo no poder não haveria porque se ter eleições de tempos em tempos.

Na democracia espera-se que os governantes representem o povo, só que pelo conceito de partido determinados grupos de pessoas representam o interesse de uma parte do povo e outros grupos das outras partes.

Acontece que quando um grupo de pessoas fica muito tempo no poder o próprio sentido da democracia é que fica distorcido visto que ao longo do tempo só uma parte do povo é priorizada. E, isso, principalmente no longo prazo não demonstra ter bons resultados.

Devo votar de acordo com as pesquisas ou com minha consciência?

Em partes sou contra as pesquisas de intenção de voto e digo os motivos. Muita gente tem o receio de votar em uma pessoa que tem, de acordo com as pesquisas, pouca chance de se eleger. Isso é chamado de medo de “perder o voto”...

Imagine um modelo em que as pesquisas fossem proibidas, ao menos de serem divulgadas. No mínimo um pouco mais de gente votaria segundo outros motivos e no geral a eleição fosse mais aberta e democrática.

Segundo turno.

É muito comum haver segundo turno, contudo muita gente não sabe o isso quer dizer. É muito simples: Nas ocasiões em que o segundo turno for realizável ele acontece quando nenhum dos candidatos atingiu mais da metade dos votos válidos.

Isso quer dizer que quando se vota em candidato que de acordo com as pesquisas não têm chance de ganhar e, portanto não vai para o segundo turno, é uma forma de apoio para que este candidato tente outras vezes.

Conclusão

Votar é muito mais que um dever, é um dos direitos mais importantes que todo cidadão brasileiro tem. Dou aqui minha contribuição esperando que cada pessoa saiba do poder que tem de influenciar o destino no país.

2 comentários:

  1. a Paz do senhor, ja adicionamos vocês a nossa lista de amigos !

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.